27/10/2021 às 10h10min - Atualizada em 27/10/2021 às 10h10min

Dependência emocional: amor ou manipulação?

“O dependente emocional tende a manipular e fazer chantagens para ganhar a atenção do outro”, afirma a psicóloga, Emily Simoni.

Enio Biz
Rádio 87 News

Entender os sentimentos pode ser difícil, ainda mais quando se tem uma visão deturpada deles. Por vezes, é comum que amor ou dependência emocional sejam confundidos. A ideia de viver à disposição e ser incapaz de viver sozinho, por exemplo, pode ser confundida com amor, às vezes.
 
A sociedade vende a ideia de que dependência é igual ao amor, por isso, é comum que as pessoas confundam esses sentimentos. Por isso, entender o que é a dependência emocional, pode te ajudar a entender os seus sentimentos.
 
O programa A Voz de Cocal desta quarta-feira (27), da Rádio Cocal FM, recebeu a psicóloga, Emily Simoni, para entendermos melhor o que é dependência emocional.

O que é a dependência emocional?

De acordo com Emily Simoni, a dependência é mais comum em relacionamentos amorosos. “É uma dependência afetiva que ocorre em relacionamentos, seja amorosos, familiares, nas amizades, enfim, normalmente vimos mais em amorosos. São pessoas com dificuldades de viver sem a outra pessoa. Elas acreditam intensamente que viver sem a outra pessoa a vida já não vai ter mais graça, e que não vai conseguir mais viver sem a outra pessoa. É basicamente isso. São relacionamentos afetivos com uma intensidade muito grande de um medo de perder, ou seja, não viver mais com essa pessoa”, explica.

No âmbito familiar, a psicóloga destaca a dependência emocional maior da mãe com o filho. “É mais perceptivo mãe com filho do que, por exemplo, pai com filha. A mãe tem aquele zelo maior, não ensina muito o filho para a vida. A superproteção gera essa dependência emocional”, frisa Emily.

Amor ou dependência emocional: como identificar?

“As pessoas dependentes elas podem ter sido abandonadas física ou emocionalmente na infância, ou ter tido experiência negativas que causaram algum trauma. Ou, ainda, essa superproteção vindo da infância. As causas dessa dependência emocional estão associadas ao medo de errar ou ser rejeitado, o que causa uma insegurança muito grande. Além, claro, do medo de ficar sozinho (a)”, pontua a psicóloga.


Manipulação e chantagens

Emily alerta que o dependente emocional, em certo momento do relacionamento, pode usar algumas artimanhas para conseguir a atenção total do outro, como por exemplo, manipulação e chantagens emocionais. “O dependente ela exige que a outra pessoa dedique todo o seu tempo livre pra ele. Ele tende a recorrer a manipulações ou até chantagens emocionais para fazer com que o outro desmarque compromissos, deixe de se socializar com os amigos, e até mesmo passe menos tempo com a família, para ficar com ele. O indivíduo dependente tenta isolar o (a) parceiro (a) para que possa tê-lo para si. Isso faz com que o outro precise ou dependa desse parceiro, o que faz o dependente se sentir mais confortável porque o outro precisa dele. É comum, também, o dependente buscar reafirmações do sentimento do outro. Sempre querendo que o outro sempre prove o amor que sente”, alerta.

Incapacidade de ficar sozinho

É provável que você sinta como se precisasse compartilhar todos os momentos com a pessoa. Mas não de uma forma saudável. De uma forma que quando você está sozinho não sabe o que fazer. Como se não existisse sem a pessoa.

Não acredita poder viver sem a pessoa

Na dependência emocional, você passa a acreditar que não será capaz de viver sem aquela pessoa. Assim, coloca todas as suas expectativas e planos em cima dela. Sem pensar que possa existir um futuro sem ela.

Formas para ser menos dependente

Se tornar uma pessoa menos dependente é um processo que pode ser difícil de realizar sozinho. Se for o caso, a ajuda de um psicoterapeuta pode ser muito útil. No entanto, existem alguns pontos que você pode começar a trabalhar sozinho.
 

  • Tenha consciência de que sofre de dependência emocional

  • Entenda que você pode tomar o controle da sua vida de volta

  • Entenda e reconheça as suas necessidades emocionais

  • Faça programações sem contar com outra pessoa

  • Entenda que a outra pessoa não é superior a você

  • Não crie grandes expectativas

  • Pratique o amor próprio


* A psicóloga, Emily Simoni, atende em Urussanga, Morro da Fumaça e Criciúma. Siga no Instagram: @psicologaemilysimoni. Entre em contato: (48) 99859-4265.
 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://87news.com.br/.

Audiência Pública para discutir o binário de Cocal do Sul: você é a favor ou contra?

57.5%
42.5%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp