21/01/2021 às 08h58min - Atualizada em 21/01/2021 às 08h58min

Segunda dose da vacina chega em fevereiro na região Sul

- 87 News
TNSUL

Após a primeira remessa de doses da vacina contra o coronavírus (Covid-19) ser aplicada nesta semana nos profissionais da saúde que estão na linha de frente no combate à doença e nos idosos com mais de 60 anos da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec), a expectativa, agora, é para a segunda etapa da imunização. O grupo, determinado como prioritário, deve obrigatoriamente ser vacinado novamente em até 30 dias.

De acordo a coordenadora macrorregional de Saúde de Criciúma, Izabel Scarabelot Medeiros, todas as pessoas que foram vacinadas na primeira etapa terão a segunda dose garantida. “A única coisa temos certeza é que a segunda dose no dia 1º de fevereiro o Estado vai estar distribuindo”, enfatiza. A primeira remessa atendeu 3.649 pessoas inclusas nos grupos com prioridade para vacinação na Amrec, número que foi abaixo do esperado pelas secretarias de Saúde.

Já a imunização para o restante da população permanece sem data definida. “Isso a gente não sabe. Depende do fornecimento, da produção e do Ministério da Saúde, se vai ser comprado e se o Butantan vai conseguir produzir. Tudo isso envolve a liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Eles precisam de matéria-prima e existe todo um protocolo para seguir”, acrescenta Isabel.

Apesar de não ter data estimada para o restante da população ser vacinada, os encaminhamentos já estão todos feitos. “Tem a logística, o armanezamento, o transporte. Vem aos poucos, mas vem, temos que torcer para isso. O pedido já existe, todo o Brasil está aguardando, eles já têm a estimativa populacional. Quando tiverem a matéria-prima para produzir, será um quantitativo muito bom e que vai atender muitas pessoas”, acrescenta.
 

Falta de matéria-prima pode atrasar produção de vacina
 

A falta de matéria-prima pode atrasar a produção da vacina desenvolvida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em conjunto com a AstraZeneca. O anúncio foi feito na terça-feira, dia 19. O Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) é utilizado como insumo-base para a fabricação do imunizante.

“Embora ainda dentro do prazo contratual em janeiro, a não confirmação até a presente data de envio do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) poderá ter impacto sobre o cronograma de produção inicialmente previsto de liberação dos primeiros lotes entre 8 e 12 de fevereiro”, informou a Fiocruz através de uma nota.

Segundo a fundação, o cronograma de produção será detalhado assim que a data de chegada do insumo estiver confirmada. “Ainda que sejam necessários ajustes no início do cronograma de produção inicialmente pactuado, a Fiocruz segue com o compromisso de entregar 50 milhões de doses até abril deste ano, 100,4 milhões até julho e mais 110 milhões ao longo do segundo semestre, totalizando 210,4 milhões de vacinas em 2021”, diz a nota.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você acredita que o eleitor está mais consciente para votar nestas eleições?

26.8%
71.4%
1.8%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp