29/05/2020 às 15h49min - Atualizada em 31/05/2020 às 00h00min

Jornada de 21 dias tem objetivo de informar sobre doenças oculares

Evento online de 21 dias tem o objetivo de popularizar a informações sobre doenças oculares.

DINO
http://go.retinapro.com.br/alem-horizonte


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) identificou, no Censo Demográfico de 2010, mais de 35 milhões de brasileiros com algum grau de dificuldade visual. Dentre as causas de cegueira, estima-se que ⅔ delas sejam causadas por doenças preveníveis, portanto, esse número indica uma grave realidade: milhares de pessoas sofrem com doenças oculares que poderiam ser tratadas e até evitadas.

“A saúde ocular é uma prioridade para todos os indivíduos”, afirma o prof. Dr Alexandre Rosa, doutor em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e especialista em doenças da retina e vítreo pela mesma instituição. Rosa fala com a autoridade de quem já ajudou na recuperação e na cura de mais de 8 mil pacientes, além de ter publicado diversos artigos científicos e capítulos de livro sobre o tema.

Desde 18 de maio  de 2020, o professor  participa, todas as noites a partir das 19h57, da jornada de 21 dias chamada “Além do Horizonte”. Trata-se de um esforço de comunicação médica, on-line e gratuito, destinado a qualquer pessoa interessada em saúde ocular, seja paciente, profissional, pesquisador ou estudioso da área. “Nosso intuito é contar histórias que possam inspirar, motivar e informar, tendo como pano de fundo as doenças oculares”, explica o médico. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a cegueira afete 39 milhões de pessoas em todo o mundo e que 246 milhões sofram de perda moderada ou severa da visão. Esses dados, acrescenta Dr. Rosa, constam do documento "As Condições da Saúde Ocular no Brasil 2019", elaborado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

Como o Brasil não apresenta indicadores precisos sobre doenças visuais devido à falta de informações populacionais de várias regiões, o CBO se baseia em índices do IBGE, que estima, por exemplo, que 1.577.016 indivíduos sejam cegos, o equivalente a 0,75% da população nacional. “Um contingente considerável de pessoas”, observa o Dr. Alexandre Rosa.

O médico destaca que, no Brasil e no mundo, as três principais causas de cegueira são doenças que acometem principalmente os idosos: catarata, glaucoma e degeneração macular relacionada à idade (DMRI). A retinopatia diabética também merece atenção dos serviços de saúde. E grande parte desses casos são curáveis ou podem ser prevenidos.

De acordo com estimativa de 2019 do IBGE, a população idosa deve dobrar no Brasil até 2042, comparando com os números de 2017, quando o país tinha 28 milhões de pessoas idosas, ou 13,5% do total da população, portanto, é tarefa urgente promover a saúde visual. Em dez anos, observa o médico, a expectativa é de que se chegue a uma população de 38,5 milhões de pessoas idosas, o equivalente a 17,4% do total de habitantes.

Antes de 2050, os idosos já serão um grupo maior do que a parcela da população com idade entre 40 e 59 anos. Esse rápido crescimento da população idosa traz um desafio para os profissionais da saúde ocular: o crescimento da prevalência de problemas visuais. As estatísticas indicam que o momento de cuidar da saúde dos olhos é agora, diz o oftalmologista Alexandre Rosa.

A saúde ocular na infância também precisa ser priorizada, enfatiza o médico. Estimativa de 2018 da Agência Internacional de Prevenção à Cegueira estima a existência de cerca de 26 mil crianças brasileiras cegas por doenças oculares que poderiam ter sido evitadas ou tratadas precocemente. A diversidade regional brasileira, com os diferentes níveis de desenvolvimento social e econômico, permite estimar a média de prevalência de cegueira infantil para o Brasil entre 0,5 e 0,6 casos a cada mil crianças.

Jornada

Nos 21 dias da jornada “Além do Horizonte” esses temas estão sendo debatidos à exaustão e as pessoas inscritas participam expondo suas dúvidas e revelando seus anseios. “Nas lives tratamos de todos esses temas com experts no assunto, demonstrando sempre que em grande medida a cegueira e as deficiências visuais podem ser prevenidas, minimizadas ou tratadas”, explica o Dr Alexandre Rosa.

Para garantir acesso a todos os inscritos na jornada, Rosa faz a mediação das lives com os experts convidados, que são transmitidas pelo canal da clínica RetinaPro na plataforma YouTube. Os inscritos podem interagir fazendo perguntas e dando testemunhos.

A iniciativa deu tão certo, que dezenas de grupos foram criados no aplicativo de mensagens WhatsApp para garantir suporte extra aos inscritos, sanando dúvidas com os especialistas sobre os assuntos tratados ao vivo logo depois das transmissões. O Dr. Alexandre Rosa e os especialistas convidados interagem diretamente com o público das lives.

“As doenças oculares têm causas que podem variar de predisposições genéticas pessoais a resultado de hábitos e de estilos de vida. E podem, sim, causar até mesmo a cegueira no médio ou longo prazo. Por isso defendo que cuidar de um dos sentidos, que é o mais importantes complexo do corpo humano, com o qual o nosso cérebro tem acesso a uma grande quantidade de informações na interação com o mundo, é cuidar de seu próprio universo e garantir enxergar além do horizonte”, afirma Dr Alexandre Rosa.

Sobre o evento:

Jornada de 21 Dias “Além do Horizonte”, com o oftalmologista Alexandre Rosa e especialistas convidados.

De 18 de maio a 7 de junho de 2020, sempre a partir das 19h57 no canal do YouTube RetinaPro ou pelo link: http://go.retinapro.com.br/alem-horizonte

Da Redação.



Website: http://go.retinapro.com.br/alem-horizonte
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://87news.com.br/.

Audiência Pública para discutir o binário de Cocal do Sul: você é a favor ou contra?

57.6%
42.4%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp