25/05/2020 às 09h02min - Atualizada em 25/05/2020 às 09h02min

Ações visam conter alagamentos em Morro da Fumaça

Nesse domingo, dia 24, município completou um ano da enchente que afetou mais de oito mil pessoas e cinco mil residências

- 87 News
TNSUL

O momento é de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus e da estiagem, mas há um ano, Morro da Fumaça se deparava com outro desafio: uma grande enchente que atingiu a cidade e afetou quase toda a população.

Depois de um fim de semana de trabalho intenso no atendimento às famílias atingidas na época, a equipe do Governo Municipal traçou diversas estratégias e ações que passaram a ser tomadas desde então.

A Defesa Civil contabilizou que cerca de oito mil pessoas e cinco mil residências foram afetadas e desde a noite do dia 24, as equipes das secretarias e departamentos municipais, ao lado de voluntários, atuaram para atender os desabrigados e desalojados. “Este foi provavelmente o pior desastre relacionado a enchente na história recente de Morro da Fumaça, atingindo a área central e comunidades rurais. O Governo Municipal não poupou esforços na atuação na reconstrução e reabilitação de cenário. Investimos grandes montantes em pontes, vias públicas e todo o auxílio e condições para que a população voltasse à normalidade o quanto antes”, ressalta o coordenador municipal da Defesa Civil, Natan de Souza.

Este empenho resultou, inclusive, na 11ª colocação de Morro da Fumaça no Índice SC Resiliente, que aponta a cidade com a maior capacidade de gestão dos efeitos de desastres e, que de maneira organizada, previne que vidas e bens sejam perdidos entre as 12 da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec). Com isso, o município conquistou a Classe A, ficando na 11ª colocação entre as 295 cidades catarinenses.

O trabalho desempenhado permitiu que os impactos não fossem tão grandes. Um exemplo foi a atuação do Sistema Autônomo de Água e Esgoto (Samae), que identificou e conserto diversos vazamentos ocasionados pela chuva. “A nossa equipe fez uma varredura pela cidade toda para localizar os  problemas, resolvemos e restabelecemos o abastecimento de água de forma plena”, ressalta o diretor presidente do Samae, Rogério Sorato.

Na época ainda, houve a liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) às famílias atingidas pela enchente. 

Mais de R$ 1 milhão em drenagens

A melhoria da drenagem e construção de novas é um dos focos da Secretaria do Sistema d Infraestrutura. A ação soma investimentos de mais de R$ 1 milhão que também contribuem para que a população não seja afetada pelas fortes chuvas que venham a ocorrer. “Os danos só não foram maiores porque foram feitos grandes investimentos em drenagem. Além disso, é realizado o plantio de árvores às margens dos rios que também contribui para a diminuição dos desastres naturais”, relata Souza.

Limpeza completa do Rio Linha Torrens

Atualmente, inclusive, o Rio Linha Torrens passa por uma limpeza em todos os seus mais de 11 quilômetros. “Em função da chuva ocorrida em maio de 2019 e da situação de emergência decretada no município na época, o Governo do Estado, através da Defesa Civil disponibilizou estes recursos”, comenta o coordenador municipal da Defesa Civil, Natan de Souza.

As atividades iniciaram no Bairro Naspolini junto ao Rio Urussanga, avançando em direção ao centro, percorrendo depois o bairro Maccari, Linha Frasson, até chegar na localidade de Linha Torrens. “É uma obra que já estava planejada e é de suma importância para a prevenção de novas inundações. Aliada às melhorias e investimentos em drenagem pluvial e limpeza de diversos outros canais”, completa Souza.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://87news.com.br/.

Audiência Pública para discutir o binário de Cocal do Sul: você é a favor ou contra?

57.6%
42.4%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp