12/05/2020 às 12h18min - Atualizada em 12/05/2020 às 14h33min

Live discute os impactos econômicos da Telemedicina na Saúde Suplementar

Custos de treinamento, sistema de proteção de dados e redes de conexão versus a economia gerada pela ausência de deslocamento, velocidade de atendimento e quantidade de pacientes será tema da próxima live da Abramge, que conta com apoio da Libbs.

DINO
http://www.abramge.com.br


O que antes era uma possibilidade, hoje é uma realidade. A Telemedicina, liberada em março deste ano, devido à COVID-19, já uma prática vivenciada por operadoras, hospitais, profissionais de saúde e usuários de todo o país. Mas, o que isso representa em termos econômicos? A partir do momento que não há mais a necessidade de deslocamento de profissionais, pessoas e equipamentos, pode haver de fato uma redução de custos? Por outro lado, como ela pode chegar em regiões que antes eram inimagináveis pela cobertura dos planos de saúde, isso pode implicar em ampliação do sinal de rede? Também há necessidade de treinamento de profissionais, plataformas e sistemas de proteção de dados? Afinal, quais são os impactos econômicos que este novo sistema traz para a saúde suplementar no Brasil?

A Live Abramge, que conta com o apoio da Libbs, em 12/05, às 19h, fecha a série sobre o tema "Telemedicina" e visa responder todas essas questões. De acordo com a pesquisa do Centro de Estudos em Planejamento e Gestão de Saúde, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), de 2019, as experiências internacionais mostram que o uso do método pode trazer, sim, inúmeros benefícios para o setor. Dentre eles, é possível citar: redução de tempo de atendimento, custos de deslocamento de pacientes, velocidade e praticidade. Após a consulta, o paciente, por exemplo, recebe um QR Corde em seu celular ou em uma área mediante login e senha no site com a prescrição para medicação, que pode ser enviada de imediato para a farmácia (também on line), ou guia de exame (que também pode ser enviada pela internet para agendamento com o laboratório). Todo este processo economiza tempo e, com isso, reduz o atendimento e, com a sua redução, consequentemente, mais pacientes passam a ser atendidos. Logo, pode haver maior obtenção de rentabilidade para as instituições de saúde.

Mas, claro, há casos e casos. O importante a destacar é que a Telemedicina é uma grande oportunidade para a saúde suplementar. Como aproveitá-la e fazer jus a todos os seus benefícios, inclusive financeiros, depende de como acelerar todo o processo de adequação tecnológica e capacitação para isso.

Para entender como, a recomendação é de conhecer mais sobre isso com os especialistas Leandro Reis Tavares, Vice-Presidente Médico e de Serviços Externos | Rede D'Or São Luiz; Cristiano Rodrigo Nascimento, CEO na IHS Medicina e Tecnologia; e Luiz Celso Dias Lopes, Diretor Técnico Corporativo do Grupo NotreDame Intermédica. Moderação: Carlito Marques, Presidente da Universidade Corporativa Abramge (UCA), na próxima LIVE ABRAMGE, em 12/05, às 19h. Inscrição: https://cutt.ly/gyxSMfU


Serviço:
• Data: 12/05 (terça-feira)
• Horário: 19h
• Inscrição: https://cutt.ly/gyxSMfU
• Gratuita

O participante que quiser fazer pergunta pode enviá-la por WhatsApp (11) 99109-9632 com antecedência

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://87news.com.br/.

Audiência Pública para discutir o binário de Cocal do Sul: você é a favor ou contra?

57.6%
42.4%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp