15/06/2020 às 16h11min - Atualizada em 15/06/2020 às 22h33min

Cidades mineradoras defendem que atividade minerária não é responsável pelo aumento de casos de Covid-19

Prefeituras acompanham, fiscalizam e monitoram a atividade de mineração em seus territórios para evitar aglomeração

DINO


O aumento do registro de novos casos de Covid-19 em cidades mineradoras é resultado da testagem em massa promovida pela indústria da mineração em parceria e colaboração com o poder público local. A sensação de "disparada" dos números não está relacionada à atividade minerária naqueles territórios.

Esse foi o posicionamento da Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil (AMIG) e municípios filiados, no dia 10 de junho, em videoconferência entre prefeitos, secretários municipais de saúde e demais representantes do poder executivo municipal. Os participantes foram unânimes em afirmar que não relativizam o número de óbitos diários contabilizados pelo Ministério da Saúde e, ainda assim, "discordam veementemente" da hipótese levantada de que a atividade minerária naqueles territórios provoca o aumento de novos casos de Covid-19 entre habitantes e trabalhadores envolvidos no setor produtivo da mineração.

O que foi exemplificado por dirigentes do poder público municipal é que as mineradoras estão realizando um papel social e sanitário imprescindível ao financiar e realizar testagem em massa nos funcionários e terceirizados. Na cidade de Mariana, por exemplo, foram feitos cerca de 13 mil testes na população. "Não aceitamos a ideia de que as mineradoras estão levando o vírus para as cidades e que elas são causadoras do aumento de casos da doença. Pelo contrário, a AMIG e demais municípios mineradores têm solicitado às mineradoras que realizem testagem na população", afirmou o consultor de Relações Institucionais e Econômicas da AMIG, Waldir Salvador. "As prefeituras acompanham, monitoram e fiscalizam a atividade de mineração em seus territórios de forma que elas ocorram sem causar qualquer tipo de aglomeração", destacou Salvador.

Na mesma linha, o presidente da AMIG, Vitor Penido, pontuou que a atividade minerária é essencial e que as empresas têm realizado uma série de ações para evitar aglomeração em suas plantas de operação, bem como feito o isolamento vertical, seletivo. "A começar pelo trabalho de campo, que é todo mecanizado; os setores administrativos estão todos em home office; reduziram ao máximo o número de empregados para serem transportados nos ônibus para não gerar aglomeração; os refeitórios estão com escalas específicas; entre outras medidas", elencou Penido.

Dirigentes da AMIG e das prefeituras associadas afirmaram que o isolamento social é importante para a diminuição da propagação do novo coronavírus e defenderam que, só a partir da testagem em massa da população, é possível ter o número real de casos. Com o desafio quanto a políticas públicas estaduais e federais mais efetivas, a colaboração das empresas de mineração na compra e transporte de testes tem sido essencial. "Quem não testar a sua população está fadado a viver a falsa sensação de tranquilidade. E, independentemente de termos novos casos registrados, são números e informações que nos orientarão a tomar medidas para salvar vidas", concluiu Vitor Penido.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://87news.com.br/.

Audiência Pública para discutir o binário de Cocal do Sul: você é a favor ou contra?

57.4%
42.6%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp